2018-04-13
H2020 vai apoiar desenvolvimento de solução de purificação de ar multifuncional
David Alvito

A Vieira & Lopes (OCRAM Clima) acaba de ver aprovada a candidatura ao programa Horizonte 2020 para o desenvolvimento de uma solução inovadora no tratamento de ar. A empresa de Braga junta-se a outras três sociedades portuguesas para receber uma parte do “bolo” de 12,65 milhões de euros do programa, que, entre 2014 e 2020, tem como objectivo apoiar a investigação e o desenvolvimento no território europeu.

 

A Vieira & Lopes candidatou-se ao financiamento ao apresentar o desenvolvimento de um módulo de purificação de ar multifuncional, adequado a ambientes sensíveis. De acordo a Comissão Europeia, esta verba da fase do Instrumento PME do programa deverá ser usada na preparação de uma prova de conceito e estudo de viabilidade. Através deste financiamento, a empresa minhota terá ainda direito a três dias de formação empresarial e serviços gratuitos de aceleração empresarial.

 

Carlos Moedas, comissário Europeu para a Investigação, Ciência e Inovação, afirmou, em comunicado, que “num espaço de quatro anos, esta Fase do Instrumento PME já financiou 79 Pequenas e Médias Empresas (PME) portuguesas inovadoras, num total de 9,85 milhões de euros. Os resultados confirmam que este instrumento é, sem dúvida, uma excelente porta de entrada para as PME portuguesas no Programa Horizonte 2020, que continua a dar um enorme apoio aos empreendedores em Portugal”.

 

A Vieira & Lopes surgiu em 1998 e rapidamente se destacou na área da climatização, ventilação e controlo ambiental, tendo, em 2012, sido reconhecida prémio BES Inovação. A empresa apostou, desde o seu início, em projectos de carácter industrial, mas sem descurar o factor determinante do sector doméstico, optando, de acordo com a informação disponibilizada no seu portal, “por soluções específicas em vários ambientes como contraponto ao desenvolvimento exclusivo em soluções standard”.

 

Para além da Vieira & Lopes, foram ainda contempladas a Glarevision, de Atouguia, com uma solução para a indústria que proporciona uma nova forma de interacção e comunicação, a Biomode, de Braga, com um projecto de produtos para identificação de agentes patogénicos, e a SEA4US, sediada em Sagres, que apresenta uma ferramenta para aplicação de novas abordagens biotecnológicas, de forma a explorar diversos compostos marinhos, para o desenvolvimento de produtos farmacêuticos. Se pretender conhecer um pouco mais de todos os projectos, poderá explorar o mapa interactivo do portal do Centro de Dados do Instrumento PME em https://sme.easme-web.eu/.

 

O Programa Horizonte 2020 é um programa da Comissão Europeia orientado para a investigação e inovação. Durante o período 2014-2020, o programa pretende disponibilizar o orçamento de 77 mil milhões de euros para cofinanciar projectos de investigação, desenvolvimento tecnológico, demonstração e inovação. Estes apoios são facultados através de concursos em competição, com a avaliação dos projectos apresentados por intermédio de processos independentes. Desde que foi lançado, 2873 empresas já foram financiadas, ao abrigo da Fase 1 do Instrumento PME. 79 foram portuguesas.

 

Na segunda fase do programa, os projectos poderão ser receber financiamento num montante até 2,5 milhões de euros, que servirão para desenvolver as suas várias etapas: a demonstração, o ensaio, a fase-piloto, a fase de expansão e a miniaturização, para além do desenvolvimento de um plano de negócios sólido.

Até ao momento, a Itália é, de acordo com a Comissão Europeia, o país com mais projectos apoiados ao abrigo do programa Horizonte 2020.

ASSINE JÁ
aceito os termos e condições