2017-06-14
“Falta um incentivo fiscal ao auto-consumo e à produção descentralizada de energia”
Filipa Cardoso

Os sistemas de armazenamento de energia eléctrica inteligentes da Ampere Energy já estão em Portugal. A solução estreou-se no nosso país em Maio passado, durante a feira da construção Tektónica, e promete dar uma resposta ao desígnio da descarbonização. Para isso, Nuno Pinheiro, director de negócio da Ampere Energy Portugal, pretende trabalhar em parceria não só com as empresas do sector fotovoltaico, mas também com a banca e com comercializadores de energia.

 

 

O armazenamento de energia tem sido identificado como um dos principais desafios do sector das renováveis. Ainda continua a ser um desafio?

O armazenamento da energia já é uma certeza no mercado das renováveis. O desafio passa agora por fazer com que o cliente final entenda os benefícios directos que o armazenamento de energia terá no seu orçamento familiar, nomeadamente na possibilidade de obter uma poupança na factura da electricidade superior a 50% e, ao mesmo tempo, na contribuição para a redução das energias fósseis, produzindo e consumindo uma energia limpa inesgotável. É esperado que o mercado do storage quadruplique nos próximos quatro anos, impulsionado pela redução esperada dos preços da tecnologia do armazenamento em baterias de iões de lítio, mas também pelas directivas europeias dedicadas à descarbonização da energia. Uma dessas directivas diz que todos os edifícios novos que sejam licenciados a partir de 1 de Janeiro de 2021 terão de ter necessidades energéticas próximas do zero (NZEB). Isto quer dizer que os projectistas terão de encontrar soluções de auto-consumo e de armazenamento de energia para conseguirem responder a estas directivas. Esta data é ainda mais ambiciosa para os edifícios públicos, já que os novos edifícios deverão ser NZEB já a partir de 1 de Janeiro de 2020. Por isso, é essencial a existência de sistemas inteligentes que façam a gestão da produção, consumo e armazenamento.  

 

A Ampere Energy chegou a Portugal em Maio. Qual tem sido a reacção do mercado?

Tem havido muito interesse, a todos os níveis, relativamente às soluções que a Ampere Energy oferece ao cliente final. O mercado já anda há algum tempo atento a esta nova tecnologia e às oportunidades que esta traz, em muito devido à excelente promoção que a concorrência tem feito no último ano. O mercado mostra-se muito interessado em querer saber se os nossos equipamentos fazem o mesmo, e sim, são equipamentos semelhantes aos da principal concorrência, mas com a grande diferença de que já estão a ser comercializados no mercado português, e isso não tem sido indiferente aos nossos clientes que reconhecem nos nossos equipamentos uma alternativa.  

 

Que oportunidades vêem na actual estratégia do Governo para a eficiência energética nos edifícios?

O Governo está seriamente empenhado em cumprir com as metas do Acordo de Paris da neutralidade carbónica em 2050. E o cumprimento das metas passa também pela intervenção no edificado existente, tornando-o mais eficiente energeticamente. Os programas que o Governo está a preparar, e já neste mês de Junho é esperado o lançamento do programa Casa Eficiente, irão trazer várias oportunidades a vários sectores do mercado, incluindo ao sector do autoconsumo. E é a pensar nestas oportunidades que estamos a protocolar várias parcerias com empresas do sector fotovoltaico, mas também com a banca e com comercializadores de energia, procurando obter soluções integradas para disponibilizá-las aos nossos clientes. Os próximos anos serão certamente anos com excelentes oportunidades para todos na área da renovação do edificado com vista à melhoria da eficiência energética.    

 

Como avalia o mercado da energia solar em Portugal?

Portugal tem caminhado para a descarbonização da produção de electricidade através de uma aposta nas energias renováveis. Desde 2013 que a energia produzida com base em fontes renováveis supera a energia produzida por via de combustíveis fósseis. Mesmo com um menor crescimento das renováveis nos últimos anos, facto relacionado com a crise financeira que se instalou a partir de 2013, Portugal continua a ser uma referência mundial no que diz respeito à produção das energias limpas. Mas a energia renovável de origem solar ainda representa um número insignificante no mix das fontes das energias consumidas em 2016, apenas 2%. Existe, assim, uma enorme oportunidade de crescimento deste sector, que será fortemente alavancado pelo armazenamento de energia, tornando o investimento num sistema fotovoltaico altamente rentável e com interessantes períodos de retorno para um cliente residencial, que era o que apresentava até hoje os períodos de retorno mais alargados. Apenas falta um incentivo fiscal da parte do Governo que sirva de motor de arranque ao auto-consumo e à produção descentralizada da energia.

 

Qual será a estratégia da vossa empresa para se adequar a este cenário?

A nossa estratégia passa por estabelecer várias parcerias com empresas especializadas no sector do fotovoltaico, em todo o território de Portugal continental e ilhas. Estas parcerias estendem-se também à banca e a uma comercializadora de energia, nomeadamente a Galp. Procuramos assim ter um produto integrado para oferecer ao nosso cliente. O objectivo é fazer face às várias solicitações que temos recebido da parte dos nossos clientes, sejam residenciais, sejam comércio ou industria, oferecendo um serviço célere, profissional, próximo do cliente, e com opções de financiamento e tarifas de energia competitivas que fazem os nossos produtos atractivos para o investidor final. Por isso nos associamos às melhores empresas de cada sector. Servir o nosso cliente proporcionando-lhes a oportunidade de serem produtores e consumidores da sua própria energia, o denominado “Prosumer”.  

 

Qual a grande inovação que os sistemas da Ampere Energy trazem?

Os sistemas de armazenamento de electricidade da Ampere são sistemas inteligentes pois possuem um inovador sistema de gestão. Este sistema, denominado de Energy Management System (EMS), permite obter elevados níveis de poupança da factura da electricidade, utilizando um preciso controlo da electricidade que é gerada pelos painéis fotovoltaicos e pela compra inteligente de energia à rede. Conectada à Internet, a bateria obtém a informação da previsão meteorológica e do preço da electricidade do operador. Com estas informações, e sendo conhecedor das necessidades energéticas do consumidor (aprende o perfil de consumo), a bateria faz a gestão do armazenamento e do consumo de energia para maximizar a carga da bateria e assim obter uma maior poupança (e um menor período para o retorno do investimento). Durante a noite, liga-se à Internet e obtém a previsão meteorológica para o dia seguinte. Se o dia seguinte for um dia de menor radiação solar, a energia solar que irá ser produzida não será a suficiente para alimentar a instalação e ao mesmo tempo armazenar energia para a usar à noite. Então, nessa mesma noite, a bateria liga-se à rede eléctrica para carregar no período do vazio a quantidade de energia necessária para completar uma carga completa da bateria (carrega da rede apenas a energia que a menor capacidade do sistema fotovoltaico do dia seguinte não irá conseguir armazenar). Assim é garantido que a bateria tem uma carga completa com energia limpa e gratuita do sol e, caso seja necessário, pela energia mais barata no período de vazio. Nos dias de sol, a bateria carrega-se apenas através da energia solar. Além deste modo inovador de funcionamento, os sistemas inteligentes de armazenamento da Ampere Energy são “All-in-One”, também uma inovação no que diz respeito à concorrência. Ou seja, incorporam todos os equipamentos e sistemas necessários para o seu funcionamento – as células de iões de lítio, o inversor bidireccional e o Sistema de Gestão Inteligente de Energia, testados e compatibilizados, tornando estes equipamentos eficazes, fiáveis e de fácil instalação.

 

Como as vossas soluções podem contribuir para a melhoria da eficiência energética dos edifícios?

Um edifício é tão mais eficiente quanto maior for a sua independência energética da rede, quanto maior poupança criar nas suas contas de energia. E essa maior independência consegue-se mais facilmente conjugando sistemas construtivos chamados de “passivos”, e que são inerentes aos sistemas e materiais de construção, com sistemas eficientes chamados de activos, nomeadamente equipamentos de climatização. Com estes sistemas implementados num edifício, as necessidades energéticas a partir da rede serão mais reduzidas. A bateria é um equipamento que vai alargar este período de independência energética, minimizando as necessidades de um edifício necessitar da energia da rede.

 

Numa era em que o progresso tecnológico anda a passo acelerado, a digitalização e conectividade são cada vez mais uma realidade também no sector energético. A Ampere Energy já está a responder a esse desafio, mas que evoluções antevê num futuro próximo?

Apenas as empresas que se preparem para a digitalização e conectividade é que irão resistir. Em três anos, em todo o mundo, perto de 50 mil milhões de dispositivos estarão conectados entre si. E a Ampere Energy já se está a preparar para fazer parte da era do Big Data. Hoje, os nossos equipamentos já não são vulgares baterias de armazenamento. São sistemas inteligentes de armazenamento de energia que fazem a gestão do consumo de uma instalação. No futuro, estes sistemas inteligentes terão uma abrangência ainda maior, interligando-se com outros equipamentos periféricos, elevando a um patamar superior a gestão eficiente da energia de um edifício.

ASSINE JÁ
aceito os termos e condições